Sobre o Município

Com clima agradável, natureza exuberante, muita tranquilidade e ar puro, Pinto Bandeira oferece ao seu visitante um cenário de belezas naturais junto à tradicional hospitalidade da cultura italiana.

Localizada em um dos pontos mais belos da Serra Gaúcha, entre o Rio das Antas e o Rio Buratti, Pinto Bandeira conta com altitudes que variam de 150 a 800 metros. O relevo montanhoso, o clima, o solo e a localização possibilitam às frutas da cidade uma maturação mais lenta e com ótimos níveis de qualidade nos aspectos de cor, sabor e textura.

Reconhecido como a capital brasileira do pêssego, com a colheita de aproximadamente 20 milhões de quilos/ano, o mais novo município gaúcho também produz para consumo in natura grandes quantidades de ameixa, caqui, nectarina, maçã, laranja e bergamota — encontradas por todo o caminho florido que leva até Pinto Bandeira.

A cidade é também consagrada por suas uvas, vinhos e espumantes de alta qualidade — possuindo, inclusive, Indicação de Procedência Geográfica, concedida pelo Instituto Nacional da Propriedade Industrial (INPI).

Pinto Bandeira possui identidade territorial e cultural, presentes na expressão de sua gente, no cultivo de suas frutas, no desenho da paisagem e no bem-estar de compartilhar um bom vinho. Viva momentos mágicos e curta o roteiro de enoturismo, fé, natureza e fruticultura que Pinto Bandeira oferece.

Outra marca da cidade é sua tradição religiosa: A partir de um quadro trazido da Itália em 1897, iniciou-se o culto a Nossa Senhora do Rosário de Pompéia, que culminou na construção da primeira igreja em homenagem a essa devoção no Rio Grande do Sul em 1902. Em 1915 o belo templo em estilo romano clássico foi elevado à condição de santuário, transformando-se então no primeiro santuário mariano do estado. A religiosidade expressa-se também na grande concentração de capitéis, espalhado pelos caminhos do interior. A devoção ao “rosário” manifesta-se hoje também no Caminho das Rosas que margeiam as estradas que levam ao Santuário, em especial a VRS 855.